sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Livros lidos nas férias

Durante as férias li um pouquinho. Quer dizer, não tão pouquinho assim, pois três livros durante vinte e poucos dias é até demais, né? Principalmente se você levar em conta que você esteve visitando os parques de Orlando no mesmo período.

Antes de viajar eu havia tentado ler Zeitoun, mas nem comecei, envolvida que estava nos preparativos para a viagem.

Mas consegui ler esses três. Vamos ver cada um deles:

1) TEARS OF THE GIRAFFE, de Alexander McCall Smith:


Livrinho leve, escrito num inglês tão básico e de forma tão ingênua que até parece livro pra crianças. Desconfio que a razão disso é que o autor nasceu no Zimbabwe, no continente Africano, e não estava interessado em rebuscar muito numa língua estrangeira.

Esse livro faz parte da série envolvendo a personagem Precious Ramotswe, uma detetive africana muito sensível e perspicaz que dirige a única agência de detetives do local. As histórias giram em torno dos trabalhos de investigação que recebe de seus clientes.

Eu já havia lido o primeiro livro da série: THE Nº 1 LADIES' DETECTIVE AGENCY - escrito da mesma forma ingênua - e gostei. Resolvi, então, comprar TEARS OF THE GIRAFFE, e o fiz há uns dois anos. Mas só agora resolvi tirá-lo da estante para lê-lo. Estou tentando tirar o atraso dos meus livros em papel. Desde que comprei o kindle só leio livros nesse dispositivo, e os títulos em papel ficam acumulando poeira nas minhas estantes.

Os livros dessa série são interessantes porque as histórias se passam na África, e, mesmo envolvidos na trama, acabamos indiretamente conhecendo um pouco os costumes e a forma peculiar de pensar daquele povo.

Enfim, é um livro leve, bom para passar o tempo. Nada rebuscado, nem mesmo o inglês, e nada de erudição literária.

2) FOREVER, A NOVEL OF GOOD AND EVIL, LOVE AND HOPE, de Jude Deveraux:

Esse eu achei na casa que alugamos, em Orlando. Comecei a folhear sem pretensão, acabei me envolvendo com o livro e ... li todo.

Romancezinho bobo, do tipo conto de fadas moderno, envolvendo bruxas e um espelho mágico que vê o futuro e só pode ser lido por virgens. O interessante é que a história se passa no século XX em pleno estado de Connecticut, EUA, e por isso não convence muito. É como se o enredo não combinasse bem com a época e o local. Mas, como eu adoro conto de fadas, acabei gostando da trama.

O final foi meio a jato, parecendo que o autor estava com pressa de terminar o livro e não queria perder mais tempo.Mas, como teve um final feliz, pra mim ficou tudo certo.

Também é um livro do tipo passatempo, pra quem não está a fim de pensar muito nem raciocinar demais com enredos mais elaborados.

3) PHANTOMS de Dean Koontz:

Bom... eu sou fãzona do Dean Koontz, né? Já li vários livros dele e gostei de todos. Já citei aqui que ele não deixa nada a desejar pro Stephen King, e não deixa mesmo.

Esse livro é muito legal. Prendeu minha atenção de uma forma que eu mal respirava. O início, então, é de arrepiar. Bom pra ler à noite, escutando o coração bater de medo. AMEI!

Mas é aquela coisa... os livros dele envolvem o sobrenatural, criaturas estranhas, pessoas sensitivas, paranormais. Então, tem que ler deixando a imaginação correr solta, aceitando que TUDO é possível.

Fiquei surpresa quando soube que foi adaptado pro cinema em 1998, tendo Ben Affleck no papel principal. Como que eu nunca tomei conhecimento desse filme? Vou tentar baixar no Torrent, agora que já li o livro. Gostei demais!

E agora...

4) THE GIRL WITH THE DRAGON TATOO, de Stieg Larsson.


Comecei a ler esse livro ontem. Já saiu o filme, mas não assistirei a ele enquanto não terminar o livro. Aliás, ainda não estou certa se o filme lançado engloba os três livros da série MILLENNIUM ou ainda serão lançadas as continuações.

Tenho o livro no kindle há uns dois anos. Aliás, esse é o primeiro da trilogia MILLENNIUM, e eu tenho os três. Os outros dois são: THE GIRL WHO PLAYED WITH FIRE e THE GIRL WHO KICKED THE HORNET'S NEST.

Na época em que os comprei, estavam estourando de sucesso. O autor (Stieg Larsson, escritor sueco) lançou o livro postumamente (ele morreu em 2004). Todas as críticas apontavam a série como espetacular.

Bom... bastou começar para verificar que é bom mesmo! Trama intricada, bem plotada, rebuscada, personagens bem construídos. O livro prende desde a primeira página. Estou gostando muito. Vamos ver como é a série toda. Depois volto aqui pra comentar, comparando o livro com o filme que leva o título do primeiro livro (THE GIRL WITH THE DRAGON TATOO).

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Novo livro

Terminei de ler STRENGTH IN WHAT REMAINS, de Tracy Kidder. Gostei muito do livro, muito mesmo. E o que o torna mais interessante é que se trata de uma história real.

E aqui vai uma constatação: lendo sobre a vida de Deo, um tutsi de Burundi, pequeno país da África (considerado um dos mais pobres do mundo), é IMPOSSÍVEL não acreditar no que chamamos de PROVIDÊNCIA DIVINA.

A descrição da fuga de Deo durante o massacre protagonizado pelos hutus de Burundi - fuga esta que durou seis meses - nos deixa estupefatos diante de tantas "coincidências" que, no final de contas, permitiram que ele permanecesse vivo enquanto tantos outros - parentes e amigos - eram mortos de forma violenta e cruel. Não dá para atribuir tantos acontecimentos ao mero acaso. Alguém meteu o dedinho ali.

O livro se torna um pouco cansativo em seu final, que tenta explicar historicamente as origens e resultados do genocídio dos países Burundi e Rwanda. Embora seja uma ótima aula de história, pode cansar aqueles que só estão interessadas na descrição da vida do personagem principal do livro. Mas eu gostei muito.

Vou ler agora Zeitoun, de Dave Eggers, história verdadeira de uma família síria que vive em New Orleans, EUA, envolvida em dois grandes dramas: o furacão Katrina e a violência do preconceito contra estrangeiros árabes.