terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Contando carneirinhos

Na semana passada, fui à noite com minhas pequenas assistir ao filme ATIVIDADE PARANORMAL não-sei-quanto. Filme pesado, mas, na minha opinião, TRASH como todos os anteriores. Mas, pra crianças, é adrenalina pura.

Na madrugada daquela noite, um vizinho espírito-de-porco resolveu andar com seu cão labrador solto dentro do condomínio. A cada volta, o cachorro inventava de encrencar com minha cadela no meu portão. Um barraco dos infernos.

Não notei, a princípio, que eram dois cachorros se insultando. Achava que era só minha Loba. Depois de brigar várias vezes com ela, resolvi sair e ver o que era. Foi quando vi o cara com o cão. Acho que ele ouviu eu reclamar da Loba e sumiu. 

Mas, daí por diante, todos acordados dentro de casa. Minha filha mais velha me pergunta o que está acontecendo e eu explico. Ela volta a dormir. A mais nova veio até minha cama com voz de choro dizendo que não conseguia dormir. Perguntei se ela queria ficar em minha cama comigo e ela aceitou. Acariciei sua cabecinha um pouco e depois tentei pegar no sono.

Daqui a pouco, com voz chorosa ela reclama:

- Mamãe, não consigo dormir! 
- Amor, lembra que mamãe te ensinou a rezar um terço? Tente rezar. Daqui a pouco vem o sono.

Passou mais uns minutos e ...

- Mamãe, não tem jeito. Já rezei quase a metade de um terço e nada.

E eu, já meio desesperada porque não conseguia engatar no sono por conta dela, disse:

- Vamos fazer o seguinte: Você vai fechar seus olhinhos e vai se encontrar sentada debaixo de uma árvore. Na sua frente, um descampado imenso e, no meio dele, um cercado com vários carneiros. Eles querem fugir do cercado e vão pular a cerca. Você vai prestar atenção e contar cada carneiro que pular a cerca, ok?

- Tá bom...

No dia seguinte, acordamos as duas juntas. Com carinha de sono, ela olha pra mim e diz:

- Mamãe, esse negócio de contar carneiros funciona mesmo. Contei 250 e depois não lembro mais nada. 

Eu tive que rir. Amo muito essas coisinhas.